novidades na sua caixa de entrada!

Assinar blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Entrevista com Juliet Marillier sobre O Segredo de Cybele

Ilustrando a entrevista com autora Juliet Marillier; a imagem mostra ao fundo um campo de flores e, em destaque e emoldurada por uma moldura de quadro, a fotografia da escritora; sobre tudo, está o escrito em letras cursivas, seu nome.

A entrevista com a autora Juliet Marillier nos leva até O Segredo de Cybele, livro que faz parte do universo de Wildwood Dancing, a premiada obra intitulada de A Dança da Floresta no Brasil.

Enquanto A Dança da Floresta nos leva até a Transilvânia, as personagens de O Segredo de Cybele nos fazem viajar pelo globo até Istambul, onde uma das irmãs de Jena, protagonista do primeiro livro, fará sua própria jornada.

É importante deixar claro, contudo, que O Segredo de Cybele não é uma continuação d’A Dança na Floresta e sim um spin off, que tem Paula, irmã de Jena, como figura central. Ainda assim, a história começa de onde o primeiro livro desse universo nos deixou.

A história chegou ao Brasil em 2009, numa publicação de Editora Prumo, mas que, infelizmente, está esgotada há anos. Apesar disso, estamos na torcida para que a Editora Wish, que trouxe A Dança da Floresta em uma edição primorosa e ilustrada, relance também este projeto.

A seguir, você pode conferir a sinopse e dados de O Segredo de Cybele:

O Segredo de Cybele

 

Título original:
Cybele’s Secret

Autoria:
Juliet Marillier

Editora:
Prumo

Ano de lançamento:
2009

Páginas (nº):
424
Um artefato antigo… Uma busca arriscada… Uma trilha com sinais mágicos… Um assustador triângulo amoroso…
A jovem Paula aventura-se por entre os cantos proibidos de uma misteriosa cidade e o mundo encantado do Outro Reino. Mas ela poderá suportar os testes de bravura, sabedoria e amor verdadeiro?
Na Istambul do começo do período otomano, época em que essa cidade era o coração comercial da atual Turquia, Paula vive verdadeiras provações humanas que envolvem os limites da religião muçulmana, o culto secreto à deusa Cybele e sua irmã desaparecida Tati. Essa expedição mágica a levará a verdadeiros testes de bravura e confiança.

Entrevista com a autora de O Segredo de Cybele, Juliet Marillier

A entrevista com a autora Juliet Marillier é da época do anúncio do lançamento do livro, em setembro 2008. E, para ler a entrevista de A Dança da Floresta, clique aqui.

Qual é a primissa do seu novo livro?

JM: O Segredo de Cybele tem elementos de mistério, aventura, romance e suspense, além da minha habitual mistura de história e fantasia.

É uma história sobre o amadurecimento da narradora, Paula. Ela e seus companheiros de aventura enfrentam alguns desafios extraordinários e aprendem lições de vida – a de Paula tem a ver com a natureza da verdadeira sabedoria. Isso porque ela é uma garota estudiosa que acredita que pode encontrar as respostas para a maior parte dos problemas nos livros.

O que você gostaria que as pessoas soubessem sobre a história em si?

JM: Esta é uma história complementar à de A Dança da Floresta e não uma sequência, e se passa na Turquia otomana.

Paula, de dezessete anos, e seu pai Teodor, um mercador, navegam para Istambul para comprar um artefato religioso raro, o Presente de Cybele.

Porém, isso acaba sendo um empreendimento nada comum, e eles se encontram em um perigo mortal. Não são apenas compradores que precisam temer, mas forças mais sinistras.

Sob o patronado de uma rica estudiosa grega, Irene, Paula descobre uma trilha de pistas intrigantes. Fica claro que forças do misterioso Outro Reino estão atrás dela, e que quem está dando as pistas para encontrá-la é sua irmã desaparecida, Tati.

Rodeada por seu guarda-costas, Stoyan, um jovem com seus próprios segredos, Paula decide resolver o mistério.

Complicando a situação, está o carismático capitão pirata Duarte, que parece ter um dedo em cada torta.

Uma perseguição intrépida em alto mar e por terra mostra Paula e seus companheiros passando por provações e testes além de qualquer coisa que poderiam imaginar, aprendendo lições de sabedoria, confiança e amor.

O que seus personagens precisam superar nessa história? Que desafio você coloca diante deles?

JM: Existem desafios mentais, como quebra-cabeças e enigmas – e nem sempre a estudiosa Paula é a melhor nesses desafios.

Existem desafios físicos extremos também. Nessa história incluí muitos dos meus piores medos, como cruzar pontes suspensas frágeis, rastejar por túneis estreitos e ficar bem fundo no subsolo sem luz.

Além disso, muitos dos personagens principais precisam encarar desafios psicológicos. Cada um deve reavaliar seus pontos fortes e fracos e reconhecer seus erros de julgamento do passado.

Quais desafios únicos isso representou para você? Houve algum?

JM: No clima internacional atual, provavelmente existe risco em alguém com uma origem anglo-céltica escrever um romance ambientado em um país predominantemente muçulmano – O Segredo de Cybele se passa em Istambul sob o domínio turco, mas em uma época em que o comércio internacional fluía pelo porto e a cidade era lar de uma variedade de línguas e culturas.

Pesquisei muito sobre práticas religiosas e costumes, e conversei com pessoas em Istambul para tentar captar corretamente esse aspecto no livro.

Meus personagens centrais incluem pessoas com diversas religiões e etnias, e eu espero ter sido imparcial no modo como os mostrei.

Foi incrível viajar para a Turquia para fazer pesquisas para o livro – apenas passear por uma história tão rica era impressionante.

Eu tirei centenas de fotos de pequenos pedaços de cerâmica, páginas de livros antigos, azulejos com padrões intrincados, prédios em ruínas, gatos de rua e assim em diante. Não há uma foto turística entre essas. Tem alguns cachorros de rua tristes ali e eu gostaria de ter levado um ou dois para casa comigo na Austrália.

Qual foi o aspecto mais gratificante de ter escrito este livro?

Enfrentar um cenário completamente novo, no qual precisei aprender sobre uma cultura que não era familiar.

Escrever uma história com elementos de mistério, ao invés de uma fantasia histórica diretamente.

Por último, mas não menos importante, o maravilhoso feedback dos leitores (as edições australina e britânica do livro estão esgotadas há algum tempo). Tanto leitores jovens quanto adultos amaram o livro.

Muito dos meus e-mails recentes foram de jovens leitores perguntando se estou planejando um terceiro volume para essa série. Ainda não posso responder, é uma das várias possibilidades futuras. Mas eu dou ouvidos aos meus leitores.


Por fim, você pode conhecer mais sobre o livro na resenha e, para participar do clube, conheça aqui as modalidades!

A entrevista com Juliet Marillier é do site Writer Unboxed, que autorizou sua tradução, bem como a publicação no blog do Coletivo da Retipatia.

As melhores leituras de 2023 do Coletivo

As melhores leituras de 2023 do Coletivo

ler artigo
Tag Literária Cringe

Tag Literária Cringe

ler artigo
Entrevista com Juliet Marillier sobre processo de escrita

Entrevista com Juliet Marillier sobre processo de escrita

ler artigo

Comente este post!

deixe seu comentário, coletiver!